20 de fev de 2013

Panariço






http://rafaelvatecaetano.blogspot.com





I



   _ A sinhá perguntou pro senhor o que vai dar hoje? 
_Diga a ela se me mandar três pernas eu canto o resultado. Vá.
O negrinho correu feito louco as escadinhas tortas que iam deixá-lo já na Rua dos Inválidos. A manhã acontecia sonolenta com alguns passantes tentando acordar. Uns tentavam dá cabo de suas obrigações diárias outros nem a isso se davam. O negrinho descalço e de perninhas muito magras atravessava as ruas e travessas matutinas. 
  Chegou até a Gomes Freire no numero noventa e seis e gritou com sua vozinha de menino: 
_Dona Eulália! Ó dona Eulália. 

Da janela surgiu uma senhora negra que de lenço florido sobre os cabelos já grisalhos, fez uma cara de espanto fingindo quando o negrinho proferiu o preço do consorcio que ela o mandara acerta com o Entrudo.
_ O senhor Entrudo me mandou dizer que se a senhora dá três pernas para ele, ele diz o que vai dar hoje. Sinhá Eulália vai?
 O negrinho queria saber, pois também tinha seu pedaço nesse consórcio. Dona Eulália pediu para o negrinho chegar até o portão da casa posta no sobrado da loja de instrumentos musicais. 
Esperava aquele pedaço de fome no portão mastigando uma palha nos dentes quando a voz do serviço o chamou. 
_ Toma as três pernas, trezentos cruzeiros, esse é do Entrudo o outro é seu, meu filho. 
O negrinho foi .
   _ Águia! Falou o entrudo tomando as três pernas da mão do negrinho_ agora chispa!
 O negrinho saiu da casa do apontador de jogo de bicho para saciar sua fome na padaria passando antes na Gomes Freire numero seis para dar o consórcio como encerado entre Eulália e o Entrudo.



II



   Os pés descalços com solas amarelas ladeavam a calçada cheia de obstáculos. A barriga pesara. Ele tomou o caminho mais longo do Campo de Santana_ aonde havia almoçado um bom almoço_ até a Gomes freire para entregar o resultado do bicho das 15 horas para a dona Eulália. Levava nas pequenas mãos um pedaço de papel amarelo amassado.
No seu destino , de frente a casa de Eulália ele gritou ainda correndo. 
_ Dona Eulália! 
A apostadora do jogo do bicho colocou o rosto na rua do lado de fora do portão. O negrinho entregou o pedaço de papel amassado que trazia nas mãos e se foi correndo por lado dos Arcos da Lapa. 
_ Provavelmente vai beber pinga com o que lhe dei_ Recriminava o negrinho Dona Eulália_ malandrinho.
 A mulher olhou o resultado com medo e pressa. Balançava a cabeça e dizia não. Berrou um grito um nome:_ Anastácio !
 Como um animal com dor caiu na calçada de pedras portuguesas. Anastácio, seu filho, veio em socorro da mãe que fora ludibriada pelo Entrudo. Deu burro. 

RVC 
           
Rio, deus Castanho.

5 de fev de 2013

ÓCIO DAS PLANTAS


http://rafaelvatecaetano.blogspot.com

Quisera ter o ócio das plantas.
Molhar se me chovem,
Ventar-me em ociosidades macias
de folhas, galhos e raízes.
Como ter o ócio das plantas? 

RVC

Rio, deus Castanho.

Olhar Vatiano

Loading...