26 de ago de 2012

O leitor, o furtador


http://rafaelvatecaetano.blogspot.com


                                         O leitor ladramente furta com oolhos
                                                        o autor
                                                          quando o lê.
                                                           Adentrar mentes lhe é o seu vago ser.
             Lê Borges é roubar Borges.
                                                        a mente  ladrada é
                                       lida, relida e ,antes de tudo, vista.

 RVC

Rio, deus Castanho.

20 de ago de 2012

Barraco off neguinha

http://rafaelvatecaetano.blogspot.com
Lá, no meu chão, os cabelos castanhos e estrangeiros a mim ainda moram.
O fora remoça os retornos do porvir.
Quando re-ver os fios acastanhados
Porvirá, cá no meu chão, a dona
Dos cabelos castanhos.

RVC
Rio, deus Castanho.

14 de ago de 2012

Eu atelier



http://rafaelvatecaetano.blogspot.com
Eu sou meu atelier.
Ateliar-se   me é um estado
vago passante.
como vago é o fingir ser
RVC

Rio, deus Castanho.

6 de ago de 2012

Apineia solidária




Quão vão e fundo
É-nos o labirinto, a cidade,
O poço do fundo...
htp://rafaelvatecaetano.blogspot.com
Lá, naquele pequeno geométrico,
Meus pulmões morrem o ar e
Vivem a água .
Viver o molhado d’água
Ou de útero materno
Deve ser bom, como bom é
Não se afoga só num mar
De maresias salgadas de
Um padecer. Gosto do sal
Que há em corpos alineados
Pelo estar que é um estar
Que édela.
Gosto das coisas não
Por está elas, mas sim
Por afetua-me  elas.



RVC



Rio, deus Castanho.

Olhar Vatiano

Loading...