17 de fev de 2011

Um bocado bocado





                                                         
                                   Na cidade passeia o absurdo.
Ele
desobvia
os passos,
os laços
e
as amantes.
Habituariamente devora o distraído.
Depois do absurdo Camus, café e Cigarro
Calam as vontades.
No retrato
Da cidade, e em mim,
Habitam
Bocados
De Absurdo.

RVC































Olhar Vatiano

Loading...